Nos anos 90, exausto fisicamente e emocionalmente após documentar a terrível barbárie do genocídio ruandês, ele voltou para casa em sua área nativa do Brasil, que já foi coberta por uma exuberante floresta tropical.

Ele ficou chocado e devastado ao descobrir que a área era agora estéril e desprovida de vida selvagem, mas sua esposa Lélia acreditava que poderia ser restaurada à sua antiga glória.

A terra estava tão doente quanto eu, tudo foi destruído. Apenas cerca de 0,5% da terra estava coberta de árvores. Então minha esposa teve uma ideia fabulosa de replantar esta floresta.

“E quando começamos a fazer isso, todos os insetos , pássaros e peixes retornaram e, graças a esse aumento das árvores, eu também renasci, este foi o momento mais importante”.

Juntos, Sebastião e Lélia fundaram o Instituto Terra, uma pequena organização que desde então plantou 4 milhões de mudas e trouxe a floresta de volta dos mortos